Minas Gerais adota vacinação domiciliar contra febre amarela

Surto de febre amarela

Agentes de saúde estão imunizando, de casa em casa, as populações dos municípios mineiros com casos suspeitos de febre amarela.

A ação foi tomada pela Secretaria de Saúde de Minas Gerais após a identificação de casos suspeitos de febre amarela em vários municípios do estado, com 14 mortes até agora.

A vacinação está começando pelos domicílios dos casos suspeitos, em seguida nos vizinhos, e irá se expandindo até atingir todo o município. Esse tipo de medida é tradicionalmente usado em casos de surtos de doenças.

A ação será adotada em todos os municípios que registraram casos suspeitos: Ladainha, Malacacheta, Frei Gaspar, Caratinga, Piedade de Caratinga, Imbé de Minas, Entre Folhas, Ubaporanga, Ipanema e Inhapim. Cidades vizinhas também podem entrar na lista.

Vacina contra febre amarela

O público-alvo da vacina é toda a população acima de 6 meses de idade. Além da ação domiciliar, a orientação é que todos que moram no estado procurem os postos de saúde para receber a vacina.

Normalmente, a vacina contra a febre amarela é administrada em duas doses: uma aos 9 meses de idade e um reforço aos 4 anos, ou, para indivíduos de 2 a 59 anos, com intervalo de dez anos entre uma dose e outra.

Porém, o Ministério da Saúde e o estado de Minas estão adotando medidas de situações de surto, ou seja, toda a população do estado que nunca foi imunizada e que tenha mais de 6 meses de idade receberá duas doses da vacina, com intervalo de 30 dias entre elas.

O Ministério da Saúde enviou um reforço de 285 mil doses da vacina contra a febre amarela, para reforçar o estoque de 280 mil que o estado tinha.

Quem for viajar para Minas Gerais também deverá procurar previamente a vacina, disponível em postos de saúde.

Casos de febre amarela

O Ministério da Saúde anunciou que dez municípios de Minas Gerais registraram 23 casos de febre amarela, sendo 16 prováveis e sete em investigação.

Dentre estes casos, foram registradas 14 mortes.

O Ministério da Saúde recomenda às pessoas que residem ou viajam para regiões silvestres, rurais ou de mata, consideradas áreas com recomendação da vacina contra febre amarela, que se vacinem contra a doença. Os meses de dezembro a maio registram, tradicionalmente, o maior número de casos de transmissão em grande parte do Brasil.

Os sintomas iniciais causados pelo vírus da febre amarela são calafrios, dor de cabeça, dores nas costas, dores no corpo em geral, náuseas e vômitos, fadiga e fraqueza. Em casos graves, a pessoa pode desenvolver febre alta, icterícia (coloração amarelada da pele e do branco dos olhos), hemorragia e, eventualmente, choque e insuficiência de múltiplos órgãos. O índice de mortalidade, em estágio grave, alcança de 20% a 50% dos doentes.


Ver mais notícias sobre os temas:

Saúde Pública

Epidemias

Vacinas

Ver todos os temas >>   

A informação disponível neste site é estritamente jornalística, não substituindo o parecer médico profissional. Sempre consulte o seu médico sobre qualquer assunto relativo à sua saúde e aos seus tratamentos e medicamentos.
Copyright 2006-2016 www.diariodasaude.com.br. Conteúdo publicado sob licença de www.sciencetolife.com. Todos os direitos reservados para os respectivos detentores das marcas. Reprodução proibida.