Duas descobertas animam pesquisadores do câncer de próstata

Duas descobertas animam pesquisadores do câncer de próstata
O miR-141 inibiu também a metástase do câncer de pulmão.
[Imagem: Can Liu et al. - 10.1038/ncomms14270]

Esperanças

Duas descobertas anunciadas nesta semana, feitas por duas equipes independentes, trouxeram novas esperanças para lidar com o câncer mais comum entre os homens: o câncer de próstata.

Inibidor da metástase

A metástase, ou propagação de um tumor do local de origem para outros órgãos, causa mais de 90% das mortes relacionadas ao câncer. Apesar disso, a ciência pouco compreende ainda os mecanismos moleculares por trás da metástase.

A equipe do Dr. Dean Tang, do Instituto do Câncer Roswell Park (EUA), descobriu que, surpreendentemente, apenas alguns poucos miRNAs são comumente deficientes ou não expressos em células-tronco do câncer de próstata - MicroRNAs (miRNAs) são pequenas moléculas genéticas que desempenham um papel essencial na regulação de muitos aspectos do comportamento das células cancerígenas.

Ao pesquisar cada uma dessas moléculas, a equipe descobriu que especificamente uma delas, chamada miR-141, não só inibiu o crescimento tumoral, como também retardou significativamente a metástase do câncer em vários modelos pré-clínicos de câncer de próstata.

Juntando este resultado com o que já se sabia sobre essa molécula, cuja forte capacidade de supressão tumoral já havia sido demonstrada, agora a miR-141 passa a ser uma candidata de primeira linha para atuar como inibidor do câncer e da metástase do câncer de próstata.

O principal objetivo agora é tentar formular uma miR-141 sintética que possa ser aplicada como um substituto terapêutico para inibir a metástase.

Duas descobertas animam pesquisadores do câncer de próstata
O miR-194 pode ser tanto um alvo terapêutico, quanto um biomarcador do risco de espalhamento do câncer.
[Imagem: Luke Selth]

Exame para prever metástase

O outro resultado veio pelas mãos de uma equipe internacional, com pesquisadores da Universidade de Adelaide (Austrália), Michigan, Johns Hopkins e Clínica Mayo (EUA) e Centro de Próstata de Vancouver (Canadá).

Aqui o destaque foi dado à miR-194, que promove a metástase do câncer inibindo uma proteína-chave chamada SOCS2. Ou seja, a SOCS2 pode suprimir a propagação das células cancerosas.

"Em trabalhos anteriores, nós descobrimos que um alto nível de miR-194 no sangue de um paciente estava associado a uma rápida recaída do câncer de próstata após a remoção cirúrgica do tumor," explicou o Dr. Luke Selth, coordenador da equipe. "Este novo trabalho explica por que a miR-194 está associada com problemas, e no processo revelamos um caminho completamente novo que regula a metástase do câncer de próstata."

A primeira aplicação que se tem em mente deste resultado é que medir o nível de miR-194 no sangue de um paciente pode indicar a probabilidade e o risco de que o câncer se espalhe. Desta forma, pacientes com níveis elevados de miR-194 no sangue poderiam receber tratamentos mais agressivos. É justamente no desenvolvimento desse exame que a equipe se propõe a trabalhar agora.

O Dr. Selth acrescenta que a miR-194 também representa um potencial alvo terapêutico: "Atualmente, não há drogas que efetivamente inibam a propagação do câncer de próstata. Propomos que a inibição da miR-194 poderia reduzir as taxas de metástase em pacientes com doença agressiva, mas o desenvolvimento de uma droga para atingir esse objetivo ainda está distante no futuro."


Ver mais notícias sobre os temas:

Câncer

Saúde do Homem

Sexualidade

Ver todos os temas >>   


  

A informação disponível neste site é estritamente jornalística, não substituindo o parecer médico profissional. Sempre consulte o seu médico sobre qualquer assunto relativo à sua saúde e aos seus tratamentos e medicamentos.
Copyright 2006-2017 www.diariodasaude.com.br. Conteúdo publicado sob licença de www.sciencetolife.com. Todos os direitos reservados para os respectivos detentores das marcas. Reprodução proibida.