Componente do azeite de oliva pode prevenir e tratar Alzheimer

Componente do azeite de oliva pode prevenir e tratar Alzheimer
O oleocantal, um composto do óleo de oliva extra-virgem, e que já se sabia ter efeitos antiinflamatórios e analgésicos, altera a estrutura de proteínas neurotóxicas que causam o Mal de Alzheimer.
[Imagem: Wikimedia]

Oleocantal

O oleocantal, um composto encontrado no óleo de oliva extra virgem, e que já se sabia ter efeitos anti-inflamatórios e analgésicos, altera a estrutura de proteínas neurotóxicas que contribuem para os efeitos debilitadores do Mal de Alzheimer.

Essa mudança estrutural destrói a capacidade dessas proteínas de danificar as células nervosas do cérebro. "A descoberta vai ajudar a identificar medidas preventivas eficazes e levar a melhores tratamentos terapêuticos na luta contra o Mal de Alzheimer," disse do Dr. Paul Breslin, do Monell Center, nos Estados Unidos.

ADDL - Proteínas tóxicas

Conhecidas como ADDLs (Amyloid Beta-Derived Diffusible Ligand), essas proteínas altamente tóxicas colocam-se entre as sinapses neurais do cérebro de pacientes de Alzheimer, impedindo o funcionamento normal das células nervosas, eventualmente levando à perda de memória, à morte da célula e à interrupção global do funcionamento cerebral.

"Acredita-se que a ligação das ADDLs às sinapses nervosas é um primeiro passo crucial para o surgimento do Mal de Alzheimer. O oleocantal altera a estrutura da ADDL de uma forma que impede sua ligação às sinapses," explica William L. Klein, coautor do estudo.

Klein e seus colegas identificaram as ADDLs em 1998, levando a uma alteração radical na forma de entender as causas, a progressão e o tratamento do Mal de Alzheimer. Também conhecidas como oligômeros beta-amiloides, as ADDLs têm uma estrutura diferente das placas amiloides que se acumulam no cérebro dos pacientes de Alzheimer.

Óleo de oliva contra Alzheimer

Baseando-se em uma série de estudos de laboratório, a equipe do Centro Monell e da Universidade de Northwestern descobriram que a incubação das células nervosas com o composto encontrado no azeite de oliva extra virgem aumenta o tamanho das proteínas ADDLs, impedindo seu processo de inserção entre as sinapses.

Outra descoberta inesperada foi que o oleocantal transforma as ADDLs em importantes alvos para os anticorpos. Isso representa uma oportunidade para a criação de tratamentos de imunoterapia mais eficazes, com o uso de anticorpos para se ligar e atacar as ADDLs.

"Se o tratamento da doença de Alzheimer com anticorpos for aprimorado com o oleocantal, os efeitos combinados antitóxico e imunológico deste composto poderão levar a um tratamento eficaz para uma doença que hoje é incurável. Somente os testes clínicos [com humanos] poderão dizer," afirmam os pesquisadores.

O estudo contou com a participação da pesquisadora Fernanda de Felice, da Universidade Federal do Rio de Janeiro.


Ver mais notícias sobre os temas:

Plantas Medicinais

Medicamentos Naturais

Alimentação e Nutrição

Ver todos os temas >>   


  

A informação disponível neste site é estritamente jornalística, não substituindo o parecer médico profissional. Sempre consulte o seu médico sobre qualquer assunto relativo à sua saúde e aos seus tratamentos e medicamentos.
Copyright 2006-2017 www.diariodasaude.com.br. Conteúdo publicado sob licença de www.sciencetolife.com. Todos os direitos reservados para os respectivos detentores das marcas. Reprodução proibida.