Ser destro ou canhoto é determinado pela medula, e não pelo cérebro

Ser destro ou canhoto é determinado pela medula, e não pelo cérebro
Ser destro ou canhoto parece ser resultado de influências ambientais. E a origem da lateralidade está na medula espinhal, e não no cérebro.
[Imagem: Sebastian Ocklenburg et al. - 10.7554/eLife.22784]

Medula espinhal destra ou canhota

Ao contrário do que os cientistas pensavam, não é o cérebro que determina se as pessoas são destras ou canhotas, mas a medula espinhal.

Este foi o resultado de uma pesquisa sobre o tema com uma profundidade inédita, realizada por uma equipe de pesquisadores da Alemanha, Holanda e África do Sul, liderada por Sebastian Ocklenburg, Judith Schmitz e Onur Güntürkün, da Universidade Ruhr-Bochum.

A equipe demonstrou que a atividade gênica na medula espinhal já é assimétrica no útero. A preferência pela mão esquerda ou pela mão direita pode ser rastreada até essa assimetria, que é anterior a qualquer conexão com o cérebro.

"Estes resultados fundamentalmente mudam nossa compreensão da causa das assimetrias hemisféricas," concluíram os autores.

Lateralidade no útero

Até agora, os cientistas assumiam que diferenças na atividade dos genes do hemisfério direito e esquerdo seriam responsáveis pela lateralidade de uma pessoa - se ela é destra ou canhota.

A preferência por mover a mão esquerda ou a direita se manifesta a partir da oitava semana de gestação, de acordo com exames de ultrassonografia realizados na década de 1980. A partir da 13ª semana de gravidez, as crianças preferem chupar ou o polegar direito ou o esquerdo.

Os movimentos dos braços e das mãos são iniciados através do córtex motor no cérebro, que envia um sinal correspondente para a medula espinhal que, por sua vez, traduz o comando em um movimento.

O córtex motor, no entanto, só se conecta à medula espinal mais tarde no desenvolvimento do feto. O que a equipe demonstrou é que, mesmo antes que a conexão se forme, os precursores da lateralidade já se tornaram aparentes. É por isso que eles concluíram que a causa da preferência pela esquerda ou pela direita deve estar enraizada na medula espinhal, e não no cérebro.

Influência do ambiente

Indo além, a equipe rastreou a causa da atividade gênica assimétrica que determina a lateralidade.

Em lugar de ser um fator herdado, o ser canhoto ou destro parece ser resultado de uma influência de fatores epigenéticos, refletindo influências ambientais. Essas influências podem, por exemplo, gerar enzimas que ligam grupos metil ao DNA, o que por sua vez irá afetar e minimizar a leitura dos genes.

Como isso ocorre em intensidades diferentes no lado esquerdo e no lado direito da medula espinhal, há uma diferença na atividade dos genes em ambos os lados, levando a uma "escolha" pelo lado direito ou esquerdo.

Os resultados foram publicados na revista eLife.


Ver mais notícias sobre os temas:

Neurociências

Genética

Cérebro

Ver todos os temas >>   


  

A informação disponível neste site é estritamente jornalística, não substituindo o parecer médico profissional. Sempre consulte o seu médico sobre qualquer assunto relativo à sua saúde e aos seus tratamentos e medicamentos.
Copyright 2006-2017 www.diariodasaude.com.br. Conteúdo publicado sob licença de www.sciencetolife.com. Todos os direitos reservados para os respectivos detentores das marcas. Reprodução proibida.