Nanotecnologias brasileiras voltadas para a área de saúde

Nanotecnologias voltadas para a área de saúde
Equipamentos utilizados para pesquisas em nanotecnologia no INT.
[Imagem: INT]

Nanotecnologia no Brasil

Nanopartículas de polímeros biocompatíveis que liberam controladamente medicamentos no pulmão para tratamento da tuberculose, biomateriais com porosidade controlada que melhoram a fixação dos implantes cirúrgicos e nanomembranas capazes de eliminar desde o sal da água do mar até substâncias tóxicas do sangue.

Estes são alguns dos avanços em nanotecnologia desenvolvidos pelo Instituto Nacional de Tecnologia (INT), do Rio de Janeiro, que serão apresentados durante evento na próxima terça-feira (17).

A nanotecnologia refere-se ao estudo de materiais com dimensões na escala do nanômetro, equivalente a um bilionésimo de metro.

Implantes de titânio

Os biomateriais com porosidade controlada minimizam os danos aos tecidos adjacentes a implantes cirúrgicos, favorecendo a recuperação do paciente e prolongando a duração do material implantado.

O sistema permite o crescimento ósseo nos poros da superfície do material, e essa ancoragem garante a transferência perfeita da carga exercida entre o osso e o implante.

Conduzida pela tecnologista Marize Varella, a pesquisa consiste em estudar métodos para modificar a superfície de titânio, tais como o depósito de revestimentos biocerâmicos nanométricos e a superfície com nanoporosidade induzida.

Esses tratamentos têm a possibilidade de transferência de tecnologia, e em breve podem repercutir na introdução no mercado nacional de implantes com características inovadoras.

Nanopartículas biocompatíveis

A produção de nanopartículas poliméricas biocompatíveis capazes de conduzir tuberculostáticos - drogas usadas no tratamento da tuberculose - é outra nanotecnologia inovadora desenvolvida no Laboratório do INT, em parceria com a Universidade Federal Fluminense (UFF).

O responsável pela pesquisa, o tecnologista Fábio Dantas, mostrará como as nanopartículas aprimoram o tratamento pulmonar por aerossóis. As nanocápsulas poliméricas - feitas com polímeros - veiculam três medicamentos num único sistema, aumentando sua eficácia e reduzindo a dosagem e, consequentemente, os efeitos tóxicos dessas substâncias.

Membranas cerâmicas

Durante o evento, será apresentada também a solução desenvolvida pelo engenheiro José Carlos da Rocha para produção de nanomembranas cerâmicas com porosidade e permeabilidade controladas.

O material serve para a dessalinização da água (seleciona íons salinos), torna a água potável (elimina bactérias e particulados) e na hemodiálise (filtra substâncias indesejáveis do sangue).

Equipamentos da nanotecnologia

O público terá ainda uma visão geral sobre a nanotecnologia, seus equipamentos, aplicações tecnológicas, novos materiais já desenvolvidos e a posição do INT nesse cenário. Esse panorama será apresentado pela engenheira química Fabiana Magalhães Teixeira Mendes, da área de Catálise, e pelo coordenador de Desenvolvimento Tecnológico do INT, Paulo Gustavo Pries de Oliveira.

Abrangendo áreas de atuação do INT, como processamento e caracterização de materiais e catálise, a nanotecnologia leva a inovação ao nível da estrutura da matéria. Atuando na escala do nanômetro, com auxílio de microscópios eletrônicos de varredura, esta tecnologia tem permitido o desenvolvimento de novos materiais, como nanocompósitos, biomateriais, catalisadores, fármacos e semicondutores.


Ver mais notícias sobre os temas:

Nanotecnologia

Drogas Inteligentes

Fotônica

Ver todos os temas >>   


  

A informação disponível neste site é estritamente jornalística, não substituindo o parecer médico profissional. Sempre consulte o seu médico sobre qualquer assunto relativo à sua saúde e aos seus tratamentos e medicamentos.
Copyright 2006-2017 www.diariodasaude.com.br. Conteúdo publicado sob licença de www.sciencetolife.com. Todos os direitos reservados para os respectivos detentores das marcas. Reprodução proibida.