Cardápio especial e aulas de culinária ajudam pacientes de quimioterapia

Alimentação durante quimioterapia

Pacientes com câncer que fazem tratamento quimioterápico podem apresentar diversos efeitos colaterais. Um deles é a alteração no paladar, que prejudica a alimentação.

Por isso, o Instituto do Câncer do Estado de São Paulo (Icesp), criou um cardápio especial e uma programação de aulas de culinária gratuitas.

O objetivo é ajudar os pacientes oncológicos a comer melhor, além de ensinar a maneira correta de preparar os alimentos.

O Icesp, ligado à Secretaria de Estado da Saúde, é gerido por uma organização social que tem a participação da Fundação Faculdade de Medicina (FFM), ligada a Faculdade de Medicina da USP (FMUSP).

Alívio dos sintomas da quimioterapia

Uma vez por mês, 15 vagas são abertas aos acompanhantes dos pacientes, que, ao invés de esperarem enquanto eles realizam quimioterapia, podem ocupar seu tempo e aprender a cozinhar pratos diferenciados, que beneficiam quem passa por tratamento.

O projeto, chamado Alívio dos Sintomas da Quimioterapia, aborda em cada aula um sintoma característico de quem passa pelo tratamento. Além de ensinar quais receitas se aplicam para o sintoma, também explica e esclarece dúvidas relacionadas a ele.

"Preparamos algumas refeições e combinações de alimentos que suavizem alguns efeitos da quimioterapia, como a redução no paladar", afirma Suzana Camacho Lima, gerente do setor de Nutrição e Dietética do Icesp, que completa "Buscamos incentivar a preparação de receitas com sabores diferentes, que incentivem e despertem o interesse do paciente em comer".

Paladar

A quimioterapia utiliza compostos que impedem a multiplicação de células malignas.

Esse processo, dependendo do paciente, causa alterações no paladar, que podem ser leves (hipogeusia, quando a sensibilidade aos sabores fica reduzida) ou agudas (digeusia, quando há ausência da sensibilidade ao gosto).

Esses efeitos têm duração variável. Geralmente, desaparecem após algumas semanas, mas são os grandes responsáveis pela ingestão alimentar insuficiente e, consequentemente, pela perda de peso durante o tratamento.

"A boa notícia é que estes sintomas desagradáveis podem ser minimizados por meio do uso de medicamentos prescritos pelo médico e com uma avaliação nutricional. Os profissionais, em conjunto, irão avaliar quais são os cuidados necessários com a alimentação durante o período de tratamento", avalia Suzana.

Dicas durante a quimioterapia

Existem algumas dicas importantes que podem contribuir significativamente para o alívio dos sintomas da quimioterapia, como náuseas, falta de apetite ou boca seca.

Entre elas, estão evitar alimentos muito quentes ou muito gelados, substituir talheres de metal por outros de plástico, caso o paciente sinta sabor residual metálico, utilizar como temperos as ervas aromáticas, como o manjericão, orégano, salsinha, hortelã e alecrim.

Também é recomendado manter uma boa higiene oral, enxaguar a boca antes das refeições, comer bala de hortelã ou menta, pingar gotas de limão sobre a língua, consumir alimentos de diferentes texturas e beber suco de laranja ou água com gotas de limão.

O projeto existe desde fevereiro de 2009. As inscrições podem ser feitas no Icesp (Av. Dr. Arnaldo, 251, Cerqueira César, São Paulo), na própria sala de espera para quem aguarda o paciente em quimioterapia.


Ver mais notícias sobre os temas:

Quimioterapia

Alimentação e Nutrição

Saúde Bucal

Ver todos os temas >>   


  

A informação disponível neste site é estritamente jornalística, não substituindo o parecer médico profissional. Sempre consulte o seu médico sobre qualquer assunto relativo à sua saúde e aos seus tratamentos e medicamentos.
Copyright 2006-2017 www.diariodasaude.com.br. Conteúdo publicado sob licença de www.sciencetolife.com. Todos os direitos reservados para os respectivos detentores das marcas. Reprodução proibida.