17/05/2018

OMS discute se novo surto de ebola representa risco de epidemia

Com informações da Agência Brasil

Epidemia de ebola?

A Organização Mundial da Saúde (OMS) convocou uma reunião de emergência para discutir o surto do vírus ebola na República Democrática do Congo.

De acordo com os integrantes da OMS, é necessário considerar os riscos internacionais do avanço da doença no país africano.

Todos os contaminados vivem na região de Bikoro, perto do Rio Congo, a 150 quilômetros da capital provincial Mbandaka, que é uma cidade portuária movimentada. Para o diretor-geral da OMS, Tedros Adhanom Ghebreyesus, a situação é preocupante.

"A chegada do ebola em uma área urbana é muito preocupante e a OMS e parceiros estão trabalhando juntos para ampliar rapidamente a busca por todos os contatos do caso confirmado na área de Mbandaka," acrescentou o diretor regional da OMS para a África, Matshidiso Moeti.

Além da OMS, várias agências da Organização das Nações Unidas, a Federação Internacional das Sociedades da Cruz Vermelha e do Crescente Vermelho (FICV) e entidades humanitárias participam de ações conjuntas para tentar conter o surto de ebola.

Foram montados centros de tratamento especial e, nos próximos dias, a organização Médicos sem Fronteira calcula que estejam chegando suprimentos, incluindo kits médicos, kits de proteção e desinfecção, kits logísticos e de higiene e medicamentos paliativos para Mbandaka.

Ebola

Transmitido ao ser humano pelo contato com animais selvagens e pode ser passado de pessoa para pessoa, o vírus ebola pode ser fatal quando não é tratado a tempo. Os sintomas são febre, cansaço, dores musculares, de cabeça e garganta, além de vômitos e diarreia.

Um surto na África Ocidental, que começou em 2014, deixou mais de 11 mil mortos em seis países.

 

Fonte: Diário da Saúde - www.diariodasaude.com.br

URL:  

A informação disponível neste site é estritamente jornalística, não substituindo o parecer médico profissional. Sempre consulte o seu médico sobre qualquer assunto relativo à sua saúde e aos seus tratamentos e medicamentos.
Copyright 2006-2016 www.diariodasaude.com.br. Cópia para uso pessoal. Reprodução proibida.