13/03/2018

Mulheres relatam mais grosseria de colegas mulheres no trabalho

Redação do Diário da Saúde
Mulheres sofrem mais grosseria de outras mulheres que de homens
Uma das grandes decepções geradas pela "Síndrome da Abelha Rainha" é que, apesar da menor participação das mulheres em cargos de chefia, chefes mulheres não são boas mentoras para outras mulheres.[Imagem: Wikimedia/Waugsberg]

Síndrome da abelha rainha

De forma um tanto surpreendente, mulheres relatam mais incivilidade de outras mulheres no ambiente de trabalho do que de colegas homens.

"Em todos os três experimentos, encontramos evidências consistentes de que as mulheres relatam níveis mais elevados de incivilidade de outras mulheres do que dos seus colegas masculinos. Em outras palavras, as mulheres são mais rudes umas com as outras do que elas são com os homens ou que os homens são com as mulheres," descreveu a Dra Allison Gabriel, da Universidade do Arizona (EUA).

O fenômeno de mulheres discriminando outras mulheres no local de trabalho - particularmente quando ascendem na carreira - tem sido chamado de "síndrome da abelha rainha": À medida que as mulheres sobem de posição hierárquica, a maioria admite apresentar um comportamento mais grosseiro e maior incivilidade.

E tudo parece ser mais sensível entre as próprias mulheres, com as chefes mulheres sendo melhor vistas pelos homens do que pelas mulheres.

Allison Gabriel e seus colegas então se dispuseram a descobrir não apenas a origem desses comportamentos, mas também se eles afetam indistintamente homens e mulheres.

Incivilidade feminina

A equipe projetou três experimentos, nos quais homens e mulheres que trabalhavam juntos em tempo integral responderam a perguntas sobre a incivilidade que experimentaram no trabalho durante o último mês.

As perguntas eram sobre colegas de trabalho que os colocavam para baixo ou eram esnobes, faziam comentários humilhantes ou depreciativos, ignoravam-nos em uma reunião ou se dirigiam a eles em termos pouco profissionais. Cada conjunto de perguntas foi respondido duas vezes, uma vez para colegas de trabalho homens e outra vez para colegas de trabalho mulheres.

Os resultados foram consistentes: tanto homens quanto mulheres afirmaram ser mais comum observarem esses comportamentos negativos vindos de colegas mulheres.

"Isso não quer dizer que os homens não estejam envolvidos nesses comportamentos," observa Allison. "Mas quando comparamos os níveis médios de incivilidade relatados, a incivilidade provocada pelas mulheres foi relatada com mais frequência do que a incivilidade gerada pelos homens em nossos três experimentos."

 

Fonte: Diário da Saúde - www.diariodasaude.com.br

URL:  

A informação disponível neste site é estritamente jornalística, não substituindo o parecer médico profissional. Sempre consulte o seu médico sobre qualquer assunto relativo à sua saúde e aos seus tratamentos e medicamentos.
Copyright 2006-2016 www.diariodasaude.com.br. Cópia para uso pessoal. Reprodução proibida.