13/09/2017

Mente de motoristas vagueia na maior parte do tempo

Redação do Diário da Saúde
Mente de motoristas vagueia na maior parte do tempo
O estudo foi feito em um simulador para permitir variar as condições de condução de forma controlada e para ler os padrões cerebrais dos participantes. [Imagem: Carryl Baldwin]

Atenção ao volante

Você está sempre atento ao dirigir? Mesmo naquele percurso monótono e cansativo de volta para casa depois de um longo dia de trabalho?

A professora Carryl Baldwin, da Universidade George Mason (EUA), acredita que você provavelmente está menos atento do que imagina ou se dá conta.

Isto porque ela investigou o que chama de "mente errante" em voluntários que dirigiam em diversos tipos de percurso.

Surpreendentemente, durante a simulação, os voluntários apresentaram a mente vagando em 70% do tempo.

Mente errante

A chamada mente errante é uma forma de distração pouco estudada, quando os motoristas começam a sonhar acordados e deslocam a atenção do dirigir e do que está acontecendo à sua volta para pensamentos internos, tornando-se menos capazes de responder rapidamente a eventos inesperados - batidas na traseira do carro à frente são típicos de situações assim.

O problema é que é difícil quantificar o estado de mente errante porque as pessoas normalmente não estão conscientes de quando e do quanto suas mentes vagueiam em seus próprios pensamentos.

Em termos de melhoria da segurança no futuro, uma opção pode ser o sistema de transporte autônomo, como os carros de autocondução.Dr. Carryl Baldwin

Por isso, os pesquisadores pediram a um grupo de voluntários que usassem um simulador de direção enquanto ficavam conectados a um sistema de monitoramento eletrofisiológico, para medir a atividade elétrica em seus cérebros. "Nós conseguimos detectar períodos de mente errante através de padrões eletrofisiológicos cerebrais distintos, alguns dos quais indicavam que os motoristas tinham menor probabilidade de serem receptivos aos estímulos externos," contou Baldwin.

Carros sem motorista

Os participantes mostraram-se mais propensos a deixar a mente vagar na simulação planejada para ser mais cansativa, planejada para reproduzir o caminho de volta para casa após o trabalho. A simulação não incluía eventos arriscados, de forma que serão necessárias novas rodadas para esclarecer o quanto deixar a mente vagando é perigoso durante a condução.

"A mente errante pode ser uma parte essencial da existência humana e inevitável. Pode ser uma maneira de restaurar a mente depois de um longo dia no escritório. O que ainda não temos certeza é o quanto isto é perigoso durante a condução. Precisamos de pesquisas adicionais para descobrir isso.

"Em termos de melhoria da segurança no futuro, uma opção pode ser o sistema de transporte autônomo, como os carros de autocondução, que permitirão que a mente das pessoas vagueie quando for seguro fazê-lo, mas re-engajar quando precisarem prestar atenção," recomendou Baldwin.

 

Fonte: Diário da Saúde - www.diariodasaude.com.br

URL:  

A informação disponível neste site é estritamente jornalística, não substituindo o parecer médico profissional. Sempre consulte o seu médico sobre qualquer assunto relativo à sua saúde e aos seus tratamentos e medicamentos.
Copyright 2006-2016 www.diariodasaude.com.br. Cópia para uso pessoal. Reprodução proibida.