04/04/2018

Estarrecedor: Expansão da indústria farmacêutica piora saúde pública

Redação do Diário da Saúde
Expansão da indústria farmacêutica piora saúde pública
Entre as mais recentes manchetes negativas para a indústria farmacêutica estão os milhões pagos pela indústria aos médicos nos EUA e a venda de antibióticos não aprovados na Índia.[Imagem: CC0 Public Domain/Pixabay]

Efeito negativo

Dados de 30 países ao longo de mais de 27 anos, mostraram que a expansão da Medicina em geral melhorou a saúde da população - com uma grande e notável exceção.

Tanto o aumento dos gastos com cuidados de saúde pelos governos, quanto os aumentos no atendimento especializado mostraram-se diretamente associados a uma maior expectativa de vida e menor mortalidade nos países estudados.

Contudo, a expansão da indústria farmacêutica mostrou-se associada a efeitos negativos na saúde da população.

"Este estudo não é o primeiro a sugerir que as receitas de medicamentos podem representar um risco para a saúde. Mas é o primeiro a revelar que o crescimento da própria indústria farmacêutica pode estar associado a uma saúde pior do que melhor. As descobertas foram surpreendentes para nós," disseram Hui Zheng (Universidade Estadual de Ohio) e Linda George (Universidade Duke).

Benefícios para a saúde pública

Os dados mostram que a indústria farmacêutica e médica sofreu uma expansão maciça em todo o mundo ocidental desde meados do século 20.

Para verificar se essa expansão beneficiou a saúde pública em geral, os pesquisadores usaram dados de 30 países membros da OCDE (Organização para Cooperação e Desenvolvimento Econômico), o que inclui a maioria das democracias mais ricas do mundo.

Zheng e George analisaram como diferentes tipos de expansão médica se relacionaram à saúde da população entre 1981 e 2007. Especificamente, eles relacionaram a expansão da indústria e dos cuidados médicos à expectativa de vida ao nascer, à expectativa de vida de homens e mulheres aos 65 anos, e da mortalidade por todas as causas.

Foram levados em conta uma variedade de variáveis sociais, econômicas e demográficas que também poderiam explicar as relações entre a expansão médica e a saúde.

O investimento em medicina, a expansão da indústria farmacêutica e a especialização médica aumentaram ao longo do período em praticamente todos os 30 países, embora em níveis variados.

Todos esses três tipos de expansão médica mostraram-se associados positivamente a dois ou mais indicadores de saúde da população.

O aumento do investimento em saúde e o aumento da especialização médica mostraram-se relacionados ao crescimento em todas as três medidas de expectativa de vida e a uma diminuição na mortalidade geral.

Indústria farmacêutica faz mais mal que bem?

A surpresa veio quando se verificou que duas medidas de expansão da indústria farmacêutica - aumento nas vendas e mais recursos gastos em pesquisa e desenvolvimento pela própria indústria - mostraram-se diretamente associados a uma menor expectativa de vida entre as mulheres de 65 anos ou mais, e com o aumento das taxas de mortalidade em geral da população - os dados da indústria farmacêutica não mostraram associação com nenhuma das demais questões de saúde estudadas.

Os pesquisadores fizeram testes para confirmar se não seria o contrário - que a expectativa de vida mais baixa e o aumento da mortalidade estavam causando uma expansão da indústria farmacêutica. Mas não é esse o caso.

E esta não foi a única descoberta negativa sobre a próspera indústria farmacêutica.

"Nós descobrimos que, à medida que a indústria farmacêutica se expande, há uma diminuição no impacto benéfico da especialização médica na saúde da população," disse Zheng.

Como o resultado foi uma surpresa, o estudo não havia sido projetado para responder por que a expansão da indústria farmacêutica está levando a efeitos negativos sobre a saúde da população.

"Pode ser devido aos efeitos colaterais tóxicos dos medicamentos, às práticas de prescrição dos médicos, ao uso indevido pelos pacientes dos medicamentos prescritos, a razões relacionadas às estratégias de marketing da indústria farmacêutica ou a uma combinação desses fatores," disse Zheng, ressaltando que planeja estudar essa questão a seguir.

O estudo foi publicado no Journal of Health and Social Behavior.

 

Fonte: Diário da Saúde - www.diariodasaude.com.br

URL:  

A informação disponível neste site é estritamente jornalística, não substituindo o parecer médico profissional. Sempre consulte o seu médico sobre qualquer assunto relativo à sua saúde e aos seus tratamentos e medicamentos.
Copyright 2006-2016 www.diariodasaude.com.br. Cópia para uso pessoal. Reprodução proibida.