04/10/2017

Efeito da dieta depende da flora bacteriana de cada pessoa

Redação do Diário da Saúde

Dieta e flora bacteriana

Como todos já sabem, a mesma dieta que funciona para algumas pessoas, levando efetivamente à perda de peso, simplesmente não funciona para outras pessoas.

Mas por quê?

Uma das razões - talvez a principal delas - é que o efeito da dieta depende da combinação particular de bactérias nos intestinos de cada pessoa, afirmam Mads Hjorth e Arne Astrup, da Universidade de Copenhague (Dinamarca).

"Estes resultados são revolucionários ao demonstrar que certas espécies bacterianas desempenham um papel decisivo na regulação do peso e na perda de peso. Agora podemos explicar por que uma dieta rica em fibras nem sempre leva à perda de peso. A flora bacteriana intestinal humana é uma parte importante da resposta e de agora em diante irá desempenhar um papel crucial no tratamento do sobrepeso," disse Hjorth.

Nova dieta nórdica

Em seu estudo, a dupla usou a cada vez mais popular "nova dieta nórdica", rica em fibras, que parece funcionar bem para algumas pessoas, mas não apresentar qualquer resultado para outras.

Um grupo de 62 participantes com excesso de peso foi dividido aleatoriamente para seguir a nova dieta nórdica ou uma especificação geral de alimentação, que a equipe chamou de "dieta dinamarquesa média".

Os dois planos alimentares variam muito no volume de fibras alimentares e de cereais integrais consumidos - a dieta é mais rica em fibras e coloca maior ênfase nos alimentos integrais, como vegetais e frutas, do que a alimentação média.

Os resultados de exames intestinais permitiram também dividir os participantes em dois grupos diferentes quanto às bactérias enterotípicas ou intestinais. Isto foi feito com base na abundância de bactérias Prevotella em comparação com espécies de Bacteroides. Cerca de metade do grupo apresentou alto volume de Prevotella, enquanto a outra metade apresentou baixa proporção desses microrganismos.

Perda de peso e placebo da dieta

Na média, os 31 voluntários que adotaram a nova dieta nórdica por 26 semanas perderam 3,5 quilogramas, enquanto os 23 voluntários que seguiram a dieta dinamarquesa média e chegaram até o fim do experimento perderam 1,7 quilograma.

Mas os resultados são diferentes quando se cruza a dieta com as bactérias intestinais.

A nova dieta nórdica funcionou bem para os participantes no grupo Prevotella de alto volume. Eles perderam 3,15 kg de gordura corporal em média.

Suas cinturas também diminuíram significativamente, e sua perda de peso foi mantida após seguir a dieta por um ano após o final do estudo.

Por outro lado, o tipo de dieta seguida não teve qualquer influência sobre a quantidade de peso que os participantes no grupo de baixa proporção de Prevotella perderam, indicando que sua perda de peso pode ter tido algo a ver com um efeito induzido pela participação no estudo, e não exatamente pelo tipo de alimentação, dizem os pesquisadores.

 

Fonte: Diário da Saúde - www.diariodasaude.com.br

URL:  

A informação disponível neste site é estritamente jornalística, não substituindo o parecer médico profissional. Sempre consulte o seu médico sobre qualquer assunto relativo à sua saúde e aos seus tratamentos e medicamentos.
Copyright 2006-2016 www.diariodasaude.com.br. Cópia para uso pessoal. Reprodução proibida.