17/01/2018

Cápsula robótica revela mistérios da digestão humana

Redação do Diário da Saúde
Cápsula robótica revela mistérios da digestão humana
Este sensor foi projetado para ser engolido, transmitindo as informações em tempo real para um computador.[Imagem: RMIT University/Peter Clarke]

Sensor gastrointestinal

Os resultados dos primeiros ensaios em humanos de uma cápsula inovadora para detecção de gases mostraram que o pequeno aparelho pode mudar a forma como os distúrbios intestinais e as doenças são prevenidas e diagnosticadas.

Além disso, os ensaios, realizados por pesquisadores da Universidade RMIT em Melbourne (Austrália), revelaram mecanismos no corpo humano nunca vistos anteriormente, incluindo uma parte totalmente desconhecida do sistema imunológico.

Embora praticamente todas as pessoas sofram algum tipo de desordem gastrointestinal ao longo da vida, casos mais graves só contam com opções de tratamento na forma de procedimentos invasivos, como colonoscopias.

A cápsula ingerível - do tamanho de uma cápsula comum de medicamento - detecta e mede os gases estomacais e intestinais, incluindo hidrogênio, dióxido de carbono e oxigênio, em tempo real. Esses dados são enviados para um aplicativo que pode rodar até em um telefone celular.

"Descobrimos que o estômago libera substâncias químicas oxidantes para quebrar e vencer os compostos estranhos que ficam no estômago por mais tempo do que o habitual. Isso pode representar um sistema de proteção gástrica contra corpos estranhos. Esse mecanismo imunológico nunca foi relatado antes," disse o professor Kourosh Kalantar-zadeh, coordenador do ensaio.

Oxigênio no intestino

Outra observação nunca antes vista feita durante os primeiros testes foi que os intestinos podem conter oxigênio.

"Os ensaios mostraram a presença de altas concentrações de oxigênio no cólon sob uma dieta extremamente rica em fibras," disse Kalantar-zadeh. "Isso contradiz a velha crença de que o cólon é sempre livre de oxigênio. Essa nova informação poderá nos ajudar a entender melhor como ocorrem doenças debilitantes, como o câncer de cólon."

Os testes foram realizados em sete indivíduos saudáveis em dietas com volumes baixos e altos de ingestão de fibras. Os resultados mostraram que a cápsula registra com precisão o início da fermentação dos alimentos, destacando sua capacidade para monitorar clinicamente a digestão e a saúde intestinal em condições patológicas e normais.

Agora que a cápsula passou com êxito pelas provas humanas, a equipe está procurando parceiros na indústria para fabricar e comercializar a tecnologia.

 

Fonte: Diário da Saúde - www.diariodasaude.com.br

URL:  

A informação disponível neste site é estritamente jornalística, não substituindo o parecer médico profissional. Sempre consulte o seu médico sobre qualquer assunto relativo à sua saúde e aos seus tratamentos e medicamentos.
Copyright 2006-2016 www.diariodasaude.com.br. Cópia para uso pessoal. Reprodução proibida.