Videogame melhora capacidade de médicos identificarem traumas graves

Videogame melhora capacidade de médicos identificarem traumas graves
Os médicos que participaram do treinamento não gostaram do jogo, mas tiveram um aprendizado mais de duas vezes melhor com ele do que com o material escrito tradicional.
[Imagem: Schell Games]

Videogame educativo

Jogar um videogame de aventura, onde o jogador faz o papel de um jovem médico de emergência que trata pacientes com trauma grave, mostrou-se melhor para o treinamento médico do que o aprendizado tradicional pela leitura de livros e manuais.

Os médicos reais que participaram do treinamento em computador mostraram-se significativamente mais capazes de reconhecer rapidamente os pacientes que precisavam de níveis mais aprimorados de cuidados no pronto-socorro.

"Uma hora no videogame recalibrou os cérebros dos médicos a tal ponto que, seis meses depois, eles ainda estavam superando seus colegas no reconhecimento dos traumas graves," detalhou a professora Deepika Mohan, da Universidade de Pittsburgh (EUA), idealizadora do projeto.

Curiosamente, os resultados se mantiveram ainda que os médicos participantes do treinamento no jogo não tenham gostado do videogame, preferindo a educação tradicional baseada em texto. Isso indica que, se o jogo puder ser melhorado para se tornar mais agradável, os resultados já favoráveis podem ser aprimorados.

Jogo heurístico

O problema com a detecção de traumas graves é que os médicos em centros não-especializados de pronto-atendimento normalmente se deparam com apenas um trauma grave a cada 1.000 pacientes. O resultado é que, em média, 70% dos pacientes gravemente feridos que chegam a esses centros acabam não sendo adequadamente diagnosticados, o que retarda sua transferência para centros de traumatologia, conforme recomendado pela prática clínica.

O jogo foi projetado para explorar a parte do cérebro que usa o reconhecimento de padrões e a experiência prévia para tomar decisões rápidas usando dicas mentais subconscientes - um processo chamado heurística.

"Os médicos precisam tomar decisões rapidamente e com informações incompletas. Todos os anos, 30.000 óbitos evitáveis ocorrem após lesões, em parte porque os pacientes com lesões graves que inicialmente se apresentam em centros não especializados em traumatologia não são imediatamente transferidos para um hospital que pode fornecer os cuidados adequados," detalhou a Dra Mohan.

Tanto o jogo como o aprendizado baseado em texto destinam-se a ajudar os médicos a melhorar sua tomada de decisão em relação a esses traumas graves. O jogo, no entanto, procurou fazer isso através do engajamento narrativo, o uso de histórias para promover a mudança de comportamento, o que se mostrou promissor na recalibração da heurística dos médicos.

Seis meses após o treinamento, Mohan reavaliou os médicos e descobriu que o efeito do jogo persistia, com aqueles que receberam o treinamento pelo videogame errando as avaliações dos traumas graves em 37% dos casos, em comparação com 74% entre os médicos que estudaram os materiais escritos.


Ver mais notícias sobre os temas:

Diagnósticos

Softwares

Diversão

Ver todos os temas >>   


  

A informação disponível neste site é estritamente jornalística, não substituindo o parecer médico profissional. Sempre consulte o seu médico sobre qualquer assunto relativo à sua saúde e aos seus tratamentos e medicamentos.
Copyright 2006-2018 www.diariodasaude.com.br. Todos os direitos reservados para os respectivos detentores das marcas. Reprodução proibida.