Tamiflu nas farmácias só depois que prateleiras do governo estiverem cheias

Proibição branca

O medicamento Tamiflu só vai chegar às farmácias e drogarias depois que a demanda feita pelo Ministério da Saúde for atendida.

A informação foi divulgada pelo próprio laboratório produtor do medicamento, que informou ainda que a prioridade no abastecimento para o governo em situações de emergência segue orientação da Organização Mundial da Saúde (OMS).

Fornecimento interrompido

Por meio de nota, o laboratório explicou que, em momento algum, o Tamiflu foi recolhido de farmácias e drogarias. O estoque antigo, segundo ele, apenas deixou de ser reposto na rede privada em decorrência da pandemia de influenza A (H1N1).

A capacidade de produção do remédio, de acordo com a empresa, já foi ampliada com o objetivo de suprir estoques adicionais. A meta é alcançar um total de 36 milhões de kits produzidos por mês.

Na semana passada, o diretor de Vigilância Epidemiológica da Secretaria de Vigilância Sanitária do Ministério da Saúde, Eduardo Hage, rebateu as críticas de que a pasta tenha concentrado toda a disponibilidade e alegou que o medicamento só não chegou aos estabelecimentos comerciais porque não havia estoque para suprir a demanda.


Ver mais notícias sobre os temas:

Medicamentos

Epidemias

Vírus

Ver todos os temas >>   

A informação disponível neste site é estritamente jornalística, não substituindo o parecer médico profissional. Sempre consulte o seu médico sobre qualquer assunto relativo à sua saúde e aos seus tratamentos e medicamentos.
Copyright 2006-2017 www.diariodasaude.com.br. Conteúdo publicado sob licença de www.sciencetolife.com. Todos os direitos reservados para os respectivos detentores das marcas. Reprodução proibida.