Mulheres pagam 40% mais que homens pelo mesmo remédio

Remédio contra perda de cabelos: Mulheres pagam 40% mais que homens
Mulheres pagam mais por um medicamento exatamente igual ao comercializado para os homens.
[Imagem: CC0 Public Domain/Pixabay]

Minoxidil

As mulheres pagam uma média de 40% mais do que os homens pelo mesmo medicamento para problemas de queda de cabelo.

A diferença de preço ocorre apesar do fato de que a versão masculina e a versão feminina dos produtos - que têm marcas diferentes e são comercializados de forma distinta - contenham a mesma droga e os mesmos ingredientes inativos.

A comparação, com base nas espumas de minoxidil, um remédio para perda de cabelo mais comumente conhecido como Rogaine®, foi feita nos EUA pela equipe do professor Jules Lipoff, da Universidade da Pensilvânia.

"As diferenças de preço ao consumidor baseadas em gênero estão bem documentadas, mas acreditamos que esta seja a primeira análise que compara o preço da medicação ao longo das linhas de gênero," disse Lipoff.

Alopecia

O medicamento pesquisado é indicado para alopecia androgenética - também conhecida como calvície padrão masculino ou calvície padrão feminino.

Com os homens, ela geralmente se apresenta como a linha de cabelo recuando, enquanto nas mulheres ela geralmente provoca o afinamento do cabelo. Um estudo recente constatou que o mercado global de tratamentos dessa condição chegará a US$ 11,8 bilhões no ano 2024.

O minoxidil é um dos produtos mais vendidos atualmente para a alopecia. Originalmente o produto comercial continha uma solução de 5% da droga para os homens e 2% para as mulheres, e esses produtos ainda estão disponíveis nas farmácias.

Em 2014, a agência reguladora dos EUA (FDA: Food and Drug Administration) aprovou o uso da solução de 5% também para as mulheres. Existe agora uma versão do produto vendida para homens e para mulheres na forma de uma espuma. As mulheres fazem uma aplicação uma vez por dia e os homens são orientados a fazê-lo duas vezes por dia. Todos os produtos envolvidos nesta pesquisa dispensam a apresentação de receita médica na hora da compra.

Mesmo produto, preços diferentes

A equipe de Lipoff analisou dados de 24 redes de farmácias em quatro estados diferentes - nos EUA. Em cada caso foi usado o preço do maior recipiente disponível por volume. Quando os preços variaram entre diferentes locais dentro da mesma rede de farmácias eles usaram o custo médio.

Para os produtos de espuma contendo 5% de minoxidil, os pesquisadores descobriram que o custo era 40% maior por onça (30 mililitros) para as mulheres do que para os homens.

"São produtos com exatamente os mesmos ingredientes," ressalta Lipoff. "Eles vêm em diferentes quantidades e embalados com base no gênero, então, na maioria das vezes, as mulheres provavelmente nem percebem que estão pagando mais".

Preços especiais para mulheres

Existem muitas pesquisas que documentam as diferenças de preços ao consumidor baseadas em gênero. Um relatório de 2015 descobriu que as mulheres pagavam uma média de 13% mais do que os homens em produtos de cuidados pessoais equivalentes. Mas Lipoff afirma que, como a maioria dos medicamentos não é específica por gênero, é raro ter a oportunidade de comparar os custos dessa maneira.

"Nós estamos apenas dando uma olhada objetiva sobre os custos correntes," disse Lipoff. "Ainda assim, não achamos que seja correto cobrar preços diferentes de pessoas diferentes pelo mesmo medicamento".

O estudo foi publicado na revista JAMA Dermatology.


Ver mais notícias sobre os temas:

Gênero

Higiene Pessoal

Ética

Ver todos os temas >>   

A informação disponível neste site é estritamente jornalística, não substituindo o parecer médico profissional. Sempre consulte o seu médico sobre qualquer assunto relativo à sua saúde e aos seus tratamentos e medicamentos.
Copyright 2006-2017 www.diariodasaude.com.br. Conteúdo publicado sob licença de www.sciencetolife.com. Todos os direitos reservados para os respectivos detentores das marcas. Reprodução proibida.