Produção de genéricos em risco por falta de matéria-prima

Ao completar dez anos, os medicamentos genéricos ainda dependem da importação de 80% das matérias-primas necessárias para a sua fabricação. Essa dependência representa risco para a manutenção não só do programa, mas para toda a indústria farmacêutica brasileira.

"Os investimentos de base foram substituídos por importações e, com isso, nos tornamos quase que plenamente dependentes da importação de matéria-prima. Se não desenvolvermos uma política industrial consistente visando a atrair empresas para a fabricação dos princípios ativos que compõem essa matéria-prima, continuaremos em uma posição de risco que pode colocar por água abaixo toda a indústria farmacêutica brasileira", alerta Álvaro Zanella, diretor de Operações e Logística da Neo Química, um dos primeiros laboratórios a lançar o medicamento genérico no Brasil.

Segundo ele, essa dependência torna o custo Brasil no setor de medicamentos ainda mais alto, apesar de os genéricos terem sido favorecidos pela redução de custo em pontos específicos da cadeia produtiva, como suprimentos, fontes alternativas de matéria-prima (20% são produzidos em território nacional) e, principalmente, no que se refere à escala - volume de produção frente ao custo fixo, que torna possível diminuir o preço de venda nos distribuidores e nas farmácias a partir de uma maior produção dos medicamentos.

Zanella explica que, em média, os genéricos custam 35% mais baratos do que os chamados medicamentos de referência, cujas fórmulas químicas são reproduzidas nos genéricos. "Mas, na prática, os genéricos chegam a custar menos da metade do que custam os de referência", garante o diretor da Neo Química.


Ver mais notícias sobre os temas:

Medicamentos

Medicamentos Naturais

Terapias Alternativas

Ver todos os temas >>   

A informação disponível neste site é estritamente jornalística, não substituindo o parecer médico profissional. Sempre consulte o seu médico sobre qualquer assunto relativo à sua saúde e aos seus tratamentos e medicamentos.
Copyright 2006-2017 www.diariodasaude.com.br. Conteúdo publicado sob licença de www.sciencetolife.com. Todos os direitos reservados para os respectivos detentores das marcas. Reprodução proibida.