Pílula do dia seguinte é usada sem receita por 76% das adolescentes

Sem prescrição médica

Levantamento realizado pela Secretaria de Estado da Saúde com 178 meninas com idade média de 16 anos atendidas na Casa do Adolescente de Pinheiros, revelou que 76,7% das jovens que já tomaram a pílula do dia seguinte compraram o comprimido sem prescrição médica.

A pesquisa mostrou ainda que a anticoncepção de emergência é um método conhecido por 95% das meninas. No entanto, o uso da pílula do dia seguinte sem orientação médica pode ser perigoso.

Anticoncepção de emergência

O uso da anticoncepção de emergência não pode ser frequente. Cada dose da pílula do dia seguinte, formada por dois comprimidos, equivale a meia cartela de anticoncepcionais. Essa alta dose de hormônios pode provocar sangramentos, vômitos e fortes dores de cabeça. Além disso, a pílula do dia seguinte pode falhar em 15% dos casos.

Outro problema é que a adolescente, ao se apoiar no uso da pílula do dia seguinte, acaba não se prevenindo contra doenças sexualmente transmissíveis, como a Aids, por não usarem preservativos durante suas relações sexuais.

Mesmo devendo ser tomada em um período de até 48 horas depois da relação sexual, a adolescente deve procurar orientação médica antes de usar a pílula. A Casa do Adolescente está aberta a qualquer horário do dia para orientar as jovens.

Mulheres independentes

O estudo também apontou para uma alteração no comportamento das garotas. Antes, era mais comum que elas fossem às farmácias acompanhadas por homens. Hoje em dia, a maioria delas vai à farmácia sozinha para adquirir o medicamento.

"As mulheres estão, cada vez mais, assumindo as conseqüências das situações. Como a pílula hoje é bem conhecida, elas vão sozinhas e compram. Mas isso é um medicamento forte, que não deve ser tomado sem orientação", afirma a ginecologista e diretora da Casa do Adolescente Alberina Duarte Takiuti.


Ver mais notícias sobre os temas:

Sexualidade

Gravidez

Medicamentos

Ver todos os temas >>   


  

A informação disponível neste site é estritamente jornalística, não substituindo o parecer médico profissional. Sempre consulte o seu médico sobre qualquer assunto relativo à sua saúde e aos seus tratamentos e medicamentos.
Copyright 2006-2017 www.diariodasaude.com.br. Conteúdo publicado sob licença de www.sciencetolife.com. Todos os direitos reservados para os respectivos detentores das marcas. Reprodução proibida.