Diferença de preços de remédios chega a 1.400% em São Paulo

Diferença de preços de remédios chega a 1.400% em São Paulo
Quando se compara preços de medicamentos de referência e genéricos nota-se que os genéricos são sempre mais baratos, mas mesmo esses podem ter preços diferentes de uma farmácia para outra.
[Imagem: Wikimedia]

Absurdos

A diferença de preços entre medicamentos semelhantes de uma farmácia para outra pode chegar a 1.400%, segundo pesquisa realizada pela Fundação Procon-SP, órgão vinculado à Secretaria da Justiça e da Defesa da Cidadania, em parceira com a Secretaria da Saúde.

A pesquisa apurou 103 itens, dos quais 62 são de referência e 41 genéricos em 15 lojas distribuídas em cinco regiões da capital paulista.

Diferença de preços entre genéricos

Segundo a pesquisa, quando se compara preços de medicamentos de referência e genéricos nota-se que os genéricos são sempre mais baratos, mas mesmo esses podem ter preços diferentes de uma farmácia para outra.

Entre os destaques para as maiores diferenças, aparecem a Fenitoína, com 25 comprimidos, custando de R$ 6,06 o medicamento de referência até R$ 0,40 para o genérico.

Em seguida, vem o Diclofenaco Sódico, com a caixa com 20 comprimidos custando R$ 20,12 para o medicamento referência e R$ 1,89 para o genérico.

Em terceiro lugar apareceu o Paracetamol que, na apresentação líquida com frasco de 15 ml, custa R$ 14,59 para o medicamento de referência para R$ 1,49 para o genérico.


Ver mais notícias sobre os temas:

Medicamentos

Consumo Responsável

Ética

Ver todos os temas >>   


  

A informação disponível neste site é estritamente jornalística, não substituindo o parecer médico profissional. Sempre consulte o seu médico sobre qualquer assunto relativo à sua saúde e aos seus tratamentos e medicamentos.
Copyright 2006-2017 www.diariodasaude.com.br. Conteúdo publicado sob licença de www.sciencetolife.com. Todos os direitos reservados para os respectivos detentores das marcas. Reprodução proibida.